Facebook quer conectar pacientes com doadores de órgãos

Usuários da rede social poderão atualizar a Timeline com o status de doador. Recurso está disponível apenas para residentes nos EUA e Inglaterra. Fonte: Sharon Gaudin, Computerworld/EUA

 

Um dos maiores problemas dos médicos especializados em transplantes de órgãos é a identificação de doadores. Ela começa logo ainda no hospital, com a dificuldade de abordar as famílias sobre a possibilidade da doação diante da perda de uma pessoa querida. Muitas desconhecem a vontade do parente de ser um doador. Agora, essa vontade pode ser expressada pelo potencial doador, ainda em vida, na sua Timeline do Facebook, graças uma nova ferramenta anunciada hoje pelo co-fundador e CEO da rede social, Mark Zuckerberg. O objetivo é ajudar a conectar pacientes com doadores de órgãos necessários.

 

Zuckerberg anunciou o recurso em uma entrevista no programa Good Morning America. A partir de hoje, os usuários de os EUA eo Rei no Unido poderão notar em sua Timeline que são doadores de órgãos. Eles também serão capazes de encontrar links para registros de doadores de órgãos e facilmente se inscrever.

 

“O Facebook é realmente uma ferramente de a comunicação, para contar histórias”, disse Zuckerberg. “Nós pensamos que as pessoas podem realmente ajudar a espalhar a consciência da doação de órgãos entre seus amigos. E isso pode ser uma grande parte de ajudar a resolver a crise que está lá fora.”

 

O co-fundador do Facebook disse que decidiu trabalhar neste projeto em parte por causa das conversas que teve com sua namorada, Priscilla Chan, estudante de medicina. No entanto, também foi influenciada pela “crise da saúde e do transplante de fígado” do co-fundador da Apple Steve Jobs, que prolongou a sua vida.

 

Jobs foi diagnosticado com câncer no pâncreas em 2003. Ele recebeu um transplante de fígado em 2009 e morreu 05 de outubro de 2011.

Essa não é a primeira iniciativa da rede social  “para ajudar a salvar vidas”, como gosta de dizer Zuckerberg. Em dezembro de 2011, o Facebook anunciou um serviço de aconselhamento para pessoas com tendências suicidas. Ele funcionará 24 horas por dia e, a princípio, só nos Estados Unidos. Meses antes, também adicionou ferramentas para coibir o ciberbullying – quando usuários usam a Internet para humilhar outros – e para reportar conteúdo ofensivo compartilhada pela rede.


Sobre o Autor

Maurício Vargas
Idealizador e fundador do ReclameAQUI, site considerado protagonista da revolução nas relações de consumo entre empresas e os consumidores no Brasil. Iniciou sua carreira na área de Relacionamento com Cliente em 2001 e, desde então, já falou para mais de 50.000 pessoas em cursos, MBA e eventos nacionais e internacionais sempre com o foco em relacionamento com o cliente e a disruptura do consumidor. Atualmente, Maurício Vargas é presidente do ReclameAqui, CEO do Sapato Laranja - Espaço de Inovação e do O Mediador, plataforma de ODR (Resolução de Conflitos Online).